ASPECTOS ECONOMICOS DA CADEIA DO CAFE

Mais Imagens

ASPECTOS ECONOMICOS DA CADEIA DO CAFE
R$19,30

Disponível: Disponível

Aspectos econômicos da cadeia do café
Tamanho: 15 cm x 21 cm
ISBN: 978-85-99764-41-1
Páginas: 234
Autora: Glória Zélia Teixeira Caixeta
EPAMIG
Descrição

Detalhes

Sinopse: O café é um dos mais valiosos produtos primários comercializados no mundo, sendo superado apenas em valor pelo petróleo. Seu cultivo, processamento, comercialização, transporte e mercado proporcionam milhões de empregos. É fundamental para a economia de muitos paí¬ses em desenvolvimento e, para alguns, a exportação do café chega a contribuir com até 70% das divisas. Ainda sendo considerado uma com¬modity, vem, entretanto, ganhando status de speciality no mercado inter¬nacional, em razão das exigências cada vez maiores dos consumidores. Conforme dados da Organização Internacional do Café (OIC), existem cerca de 72 países produtores do grão no mundo, cuja produção, no ano-safra 2016/2017, está estimada em 151,6 milhões de sacas de 60 kg. No Brasil, o desenvolvimento da cultura do café confunde-se com a própria história, já que em 1845 o País produzia 45% do café mundial. O maior parque cafeeiro do mundo está no Brasil, tendo o estado de Minas Gerais a posição de maior produtor nacional. A safra brasileira de 2016/2017 está estimada em 56,1 milhões de sacas de 60 kg, com aumento de 13,6% em relação a 2015/2016, equivalendo a 6,7 milhões de sacas, de acordo com United States Department of Agriculture (USDA). A cafeicultura brasileira tem melhor nível de competitividade em relação aos outros países produtores mundiais, sendo proporcionalmen¬te maior em termos de produção e exportação, disponibilidade de tec¬nologia apropriada ao manejo da cultura e estrutura de comercialização. As peculiaridades regionais permitem atendimento à demanda de vários tipos de cafés e formulação de variados blends. O café em grão, cujas ex¬portações lideravam a pauta comercial brasileira até a década de 1960, hoje divide sua importância com inúmeros produtos do agronegócio e da indústria de transformação. Bons cafés espressos de marcas brasilei¬ras são produzidos. As certificações ganharam impulso para atender às novas exigências do mercado, como rastreabilidade e modelo de produ¬ção. O café tipo espresso conquistou o consumidor brasileiro pelo sabor e a venda do produto impulsionou a expansão de cafeterias e atraiu gran¬des redes estrangeiras. Com a reunião de todas estas informações, a EPAMIG, por meio deste livro, apresenta o cenário nacional da atividade cafeeira ao retra¬tar determinados momentos econômicos que marcaram a cafeicultura e definiram o panorama atual. Contextualiza a participação da pesquisa agropecuária no desenvolvimento do agronogócio Café no Brasil, e a contribuição da EPAMIG e demais instituições parceiras para que Minas Gerais alcançasse a supremacia na produção nacional. A análise histórico-econômica apresentada neste livro tem o pro¬pósito de subsidiar e orientar os cafeicultores brasileiros em suas deci¬sões para uma atuação sustentável e, ao mesmo tempo, fornecer infor¬mações que estimulem a formulação de políticas para o setor.
Comentários